Não sei se foi por não criar expectativas ou simplesmente porque a energia ali é outra, mas San Pedro de Atacama foi a cidade que ganhou meu coração.

Até hoje não sei bem como explicar, mas, ao mesmo tempo que é uma cidade perdida no tempo, com as ruas de terra batida, casas de barro e aquele ar de filme de faroeste, onde até o tempo passa mais devagar, é uma cidadezinha mega movimentada, com turistas de todos os cantos do mundo. Uma vibe singular, chega a ser surreal!

San Pedro de Atacama

Havia feito a reserva no hostel apenas para um dia, pois ainda iria ao Salar de Uyuni, mas, como o legal da vida é fazer tudo de improviso, mudamos os planos e ficamos três dias antes de ir ao Salar. Para isso, foi preciso sair de porta em porta até achar um novo hostel. Rs!

A cidade é bem acolhedora, pessoas muito simpáticas e prestativas.
Se sua ideia é descansar, esqueça! Ali você não vai parar um minuto. Há passeios para todos os gostos e todos os tipos de turistas.

Rayssa, Patrícia, amiga americana e eu experimentando o famoso Mojito com Corona

Há os passeios clássicos no Deserto do Atacama, como Valle de La Luna e Lagunas Altiplânicas; os passeios para banho, como Thermas Puritanas, Thermas del Tatio, Laguna Cejar; e os mais aventureiros, como passeios de bike pelo deserto e sandboard nas dunas do Vale de la Muerte.

Na cidade, pode encontrar vários restaurantes típicos e simples, sendo que, por um valor único, é servida a entrada, o prato principal e a sobremesa. Também há pizzarias que são diferentes das nossas, mas são boas.
Descobrimos um restaurante que, durante o dia, serve almoço e, à noite, é barzinho; além do jantar, há música ao vivo com músicas típicas e pop internacional, o Barros Restaurante.

Noite no Barros Restaurante com pizza de jamón e queso; e pomo a lo pobre

Como chegar

De Santiago, peguei um voo até Calama, cerca de 1 hora, e dali um transfer de, aproximadamente, mais 1 hora até San Pedro. O transfer já deixa na porta do hostel e compensa já fechar ida e volta, sendo que pode reagendar a volta com alguma antecedência. No caminho, fizemos algumas paradas para fotografar e admirar a beleza do deserto.

O que vestir

Fui em Outubro, mas o segredo era se vestir em camadas. Pesquisei os passeios que iria entrar na água e, nestes dias, fui com biquíni por baixo. Pela madrugada/manhã e à noite, era bem gelado e com vento, sendo necessário usar até cachecol e luvas. Durante o dia, em San Pedro, era bem quente e ficava de short e blusinha leve, ou seja, vá preparado para o frio e o calor, rs.

Itens indispensáveis

Considerando que o Atacama é o deserto mais seco do mundo, leve, além do protetor solar, creme hidratante, protetor labial, colírio e soro para o nariz, sem falar da garrafinha de água que não pode faltar.

Conteúdos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Rolar para cima