Já havia ido à Pedra Branca, localizada no município de Caldas no sul de minas, para acampar algumas vezes, porém a ultima vez foi há mais de 15 anos.

Durante a pandemia, as opções mais seguras tem sido os passeios ao ar livre, sendo assim, como tinha programado uma ida à Poços de Caldas, resolvi aproveitar e ter um dia diferente.

Nos encontramos 00:50 na saída da cidade e fomos em carreata até o ponto de partida. Foram cerca de 40km, sendo os quilômetros finais em estrada de terra, até um sítio que fica no pé da montanha.

Ali, pudemos deixar os carros, reunir o grupo para as instruções e alongamentos.

Turma se reunindo para o alongamento

Iniciamos a subida por volta das 2h da manhã. O primeiro quilômetro é um pouco mais puxado, mas logo a gente entra no ritmo e segue mata a dentro. Após cerca de 1h de caminhada fizemos uma parada para reunir os grupos, hidratar e mastigar alguma coisa.

Seguimos a subida, chegando no cume por volta das 4h20 da manha.

O frio e vento são intensos, e, por chegar com o corpo quente e suado, ao parar, gela pra valer. Não se incomode por levar blusas de mais, ao final verá que fez uma boa escolha!!

Pelo horário que chegamos, foi possível admirar o pôr da lua, que foi um espetáculo a parte!

Foto: Vinícius Henrique – @x_vinicius

Achamos um lugar mais plano, com pedras próximas para ajudar a proteger do vento, e bem de frente ao ponto onde o sol nasce.

Ali foi o lugar ideal para iniciar nossa “farofa”. Teve de tudo um pouco, e prevenidos que somos, não passamos fome!! O banquete contou com pão de queijo, lanche fit de wrap, salame, queijo e salada, bolo de cenoura com cobertura de chocolate, um chá quentinho e pra fechar o café que o pessoal levou pra ajudar a esquentar.

Deitamos, e o céu estava magnificamente estrelado, com direito à estrelas cadentes. Que noite!!!

Umas 5h30 da manhã o sol começou a mostrar sua cara, e aos pouquinhos a escuridão da noite foi dando espaço à uma claridade que surgia tímida no horizonte.

Com a luz, tudo foi tomando outra forma, e os olhos podiam enxergar o que a escuridão escondia. Ainda, muito frio, e com muito vento, cada um correu pra um cantinho, para admirar e tentar o melhor click.

Por volta das 7h iniciamos a decida, e o cenário era completamente diferente. Pelo caminho haviam samambaias gigantes, uma árvore centenária e encontramos até mesmo com um pica pau.

A descida foi tranquila, e a sensação de começar um dia diferente, melhor ainda!

Dicas:

Tempo de subida: depende do seu ritmo que pode levar de 2h à 4h30. Não se preocupe, como são vários guias, um vai fechando o caminho, então não ficará sozinha (o).

Hidratação/Alimentação: lembre-se de se hidratar bastante durante o caminho, e que o retorno é pela manhã já com sol. Lembre-se de levar lanchinhos de trilha, snack, opções leves e práticas.

Obs.: NUNCA vá sozinha (o), principalmente se não conhece a trilha. Para este passeio, contratamos Guia, e a experiência foi incrível! Ah! Caso tenha alguma dúvida, vamos conversar!

Conteúdos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Rolar para cima