Dentre as Chapadas mais conhecidas do país, está a Chapada dos Veadeiros, localizada no centro-oeste do país, no estado de Goiás, e engloba as cidades de Cavalcante e Alto Paraíso.

Um lugar de muita beleza, ar puro, inúmeras cachoeiras e um cenário deslumbrante, que sem dúvidas conquista o coração de seus visitantes.

Entrada de Alto Paraíso

Quando ir

Na verdade, essa coisa de melhor época pode ser bem relativo. A região tem bem definido a estação da seca (abril à setembro) e das chuvas (outubro à março).

Dizem que na época da seca, as águas ficam mais cristalinas e por ter um volume menor de água nas quedas, pode-se aproveitar melhor e brincar mais na água, embora por ser temporada tem um número maior de turistas.

Como a época que consegui ir foi fevereiro, peguei a fase das chuvas, onde alguns lugares que a agua é cristalina e dourada estavam turvas. Alguns lugares não consegui conhecer por estar chovendo bastante, como o Vale da Lua, mas outros lugares ficam lindos por ter um grande volume de água, sem falar que fica mais tranquilo por ter menos turistas.

No período de chuvas deve ficar atendo às trombas d’água, e cuidado redobrado com as corredeiras.

Como chegar

A melhor opção é por Brasília. Na época em que visitei, morava em São Paulo e peguei um voo com duração aproximada de 1h40 até a capital.

Alto Paraíso fica há 230km de distância, e Cavalcante há 316km, então a melhor opção é alugar um carro, uma vez que os passeios são bem distantes e irá aproveitar mais a experiência.

Caso esteja viajando sozinha(o), há opção de pegar um ônibus na estação interestadual de Brasília em direção à Alto Paraíso, e há guias que fornecem o transporte para os passeios, cobrando este valor a parte.

Onde Ficar

Vai depender do tempo que terá na Chapada (já aviso que 1 semana é pouco para o tanto de possibilidades, rs), mas como a intenção era aproveitar o máximo possível, na primeira noite nos hospedamos numa pousada em Cavalcante, e os demais dias ficamos para Alto Paraíso. Há também a opção de se hospedar em São Jorge, que é uma vila de Alto Paraíso, bem próxima à entrada do Parque Estadual.

Preferimos Alto Paraíso pelo custo benefício, além de ficar entre outros passeios e mais fácil na volta.

O que Fazer

Santa Barbara e Capivara

Fomos só nas duas cachoeiras, mas normalmente quem faz esse passeio, que é o dia todo, inclui a cachoeira Candaru no roteiro também.

 A comunidade Quilombola Engenho II, fica a 30km de Cavalcante e para a entrada no complexo é obrigatório contratar um guia. Você pode contratar um guia na cidade de Cavalcante, que já irá de carro com você ou chegando no complexo pode contratar um guia local.

Fechamos com o Guilherme, mas como atrasou voo, reserva de carro e pegamos chuva na estrada, não daria tempo de fazer esse roteiro, pois existe limite de horário para Santa Barbara e fizemos uma outra trilha mais próxima à cidade.

Para o dia seguinte ele já estava com a agenda lotada, mas nos deu várias dicas de passeios, e indicou ótimos guias. Esse roteiro (das 3 cachoeiras) o Gui chama de  roteiro Kalunga. Caso queria agendar, o Instagram dele é o @guiarueira, assim você pode conhecer um pouco o trabalho dele e agendar sua visita.

Na entrada da comunidade Kalunga, é necessário efetuar o pagamento do ingresso, sendo que são cobradas entradas separadas para a cachoeira Candaru, Santa Bárbara e Capivara, podendo ser visitada só uma delas, ou todas, mas se for em alta temporada, é recomendado comprar o ingresso com antecedência no Ecobooking.

Deixamos o carro na entrada e seguimos por 5 minutos até o ponto do “transfer”. Desse local até o inicio da trilha são 5km, que pode fazer a pé ou pegar o pau de arara por R$ 10,00 (ida e volta).

Dalí, caminhamos cerca de meia hora, numa trilha de 3,6km em sua maior parte aberta, e de nível fácil. Chegando, avistamos uma pequena queda d’agua e um poço em tom de azul, fiquei encantada! Foi quando nosso guia disse que aquela era a Barbarinha, e a Santa Bárbara estava um pouco a frente, subimos um pouco, passando agora por parte com mata e chão bem molhado (estava chovendo no momento) e finalmente vimos a tão esperada. É inacreditável o lugar, perfeito!

A cachoeira Santa Bárbara consegue esse incrível tom de azul, mesmo debaixo de chuva!

Mesmo com chuva, a água era Cristalina, num tom azul esverdeado, e temperatura agradável!

Só é permitido ficar 1h na cachoeira, então voltamos, pegamos o carro e seguimos pela comunidade onde paramos para almoçar. O almoço regional é R$ 30,00 por pessoa e comida à vontade. Tudo caseiro, orgânico, feito no fogão a lenha, e na hora. Estava delicioso!

Seguimos então para a Capivara, cuja a trilha exigia um pouco mais de esforço. Essa trilha embora menor, aproximadamente 1,5km, é de nível intermediário. A chuva já havia parado, mas o fluxo de água estava intenso.

Por segurança, e pelo nível de água, não pudemos aproveitar muito a cachoeira, mas ainda assim foi possível entrar na água e até mesmo curtir um pouco da queda de água.

Na época de seca, a água é transparente com um tom dourado, mas devido as chuvas estava turva.

Thermas

O dia amanheceu chuvoso e os passeios programados para o dia, não seriam possíveis, então fomos até Vila de São Jorge, e no CAT (Centro de Atendimento ao Turista) nos deram como opção conhecer as Thermas. Na verdade, há várias opções e optamos pela mais próxima.

Era um complexo com descida bem fácil em um caminho de 10min que pode ser feita de chinelo, ali há 3 piscinas naturais com águas termais. É uma boa opção para relaxar no final do dia, após uma trilha mais cansativa, mas como o dia estava praticamente perdido, ficamos por ali aproveitando.

De quebra, no final da tarde, sentamos à mesa com um senhor que trabalhava no local, para tomar um café e ouvir suas histórias, e um pouco da tradição da região.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, protege uma área de 240.611ha de cerrado de altitude e possui para visitação 4 trilhas, todas auto guiadas. A entrada do Parque fica na Via de São Jorge, há 37km de Ato Paraíso.

O horário de entrada é das 8h às 12h e horário de saída até as 18h, e como há quantidade máxima de pessoas por trilha, o ideal é chegar o mais cedo possível.

Atualmente há cobrança de ingresso e o valor pode variar de R$ 4,00 à R$ 36,00 com preços diferenciados para moradores da região, visitantes brasileiros, visitantes do Mercosul e visitantes estrangeiros.

A Trilha das Sete Quedas, que só é aberta para visitação na estação da seca, é uma travessia de 2 a 3 dias, e para esta trilha e recomendado a contratação de guia, diferentemente das demais trilhas do Parque.

A Trilha da Siriema é a mais leve, com duração aproximada de 1h30 e pode ser conciliada com outra trilha que vá fazer no dia, caso chegue bem cedo.

A Trilha dos Canions e Cachoeira das Cariocas é de nível moderado superior, com duração estimada de 4h a 6h e 12km de extensão.

A Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras, é a trilha que optamos por fazer quando visitamos o Parque. Tem um post aqui no Blog só sobre essa trilha. Ela é de nível superior e também com duração estimada de 4h a 6h, e trajeto aproximado de 12km

Independente da trilha escolhida, vá preparado e leve lanches de trilha, bastante líquido para se hidratar e respeite as orientações do Parque.

Cachoeira do Segredo

Esse é um passeio que pode ser conciliado com outra atração, se for bem cedinho. A Cachoeira do Segredo, fica aproximadamente há 45km de Alto Paraíso, e só é permitida a entrada com a presença de um guia.

Do ponto onde se deixa o carro até a cachoeira, é uma caminhada de cerca de 1h30 e é cobrado um valor de entrada ao local de aproximadamente R$ 30,00.

A trilha começa mais fechada, em seguida uma área bem aberta, e em alguns trechos é necessário atravessar um córrego d’água. Um pouco antes de chegar à cachoeira, há uma prainha com um poço de água cristalina. Ali é possível descansar um pouco e fazer uma pausa para fugir do sol, e recuperar o fôlego.

Seguindo na trilha, após contornar o rio, finalmente chegamos à cachoeira, que por sinal é linda! À direita, há um paredão de pedras onde é possível deixar os pertences, tirar algumas fotos ou apenas sentar e admirar.

O poço é bem fundo e a água bem gelada, vimos algumas aranhas bem grandes andando nas pedras e como ela é fechada, e não há muita opção para escoar a água, é necessário ficar atento, pois pode ser perigoso em caso de tromba d’água, por mais este motivo a importância de guia, então fique esperto!

E o segredo? Só indo para descobrir!

Cachoeira dos Cristais

A Cachoeira dos Cristais fizemos após a cachoeira do segredo e é uma opção para completar o dia, ou para os dias mais instáveis.

Ela fica aproximadamente 9km de Alto Paraíso e é um lugar bem acessível. O guia que foi conosco na Cachoeira do segredo nos indicou passar por ali para conhecer. Embora ele tenha falado que é uma trilha que pode ser feita de chinelo, preferi ir de tênis para ter mais segurança. É uma trilha de uns 500m, e no caminho há várias quedas d’água e poços de águas cristalinas. Uma opção bacana pra quem está em família e crianças. Ah! Mas a água ali também é gelada.

Loquinhas

É uma ótima opção para o último dia, para relaxar e aproveitar, já que é a mais próxima e mais tranquila. O complexo fica em uma fazenda há 4,5km de Alto Paraíso, com 2 trilhas: Loquinhas e Violeta, sendo a primeira com 7 poços e a segunda com 6 poços.

Foram eles que nos recepcionaram, logo na entrada.

Não é o destino mais procurado da Chapada, mas foi uma indicação do Gui e recomendo sempre que posso, já que me surpreendeu positivamente.

É cobrada uma entrada entre R$ 15,00 e R$ 20,00 para ficar o tempo que quiser. A trilha é bem acessível, e é uma espécie de deck de madeira, com escada para acesso aos poços no caminho. Essa trilha pode ser feita de chinelo e o único obstáculo são as escadas para acesso aos poços, caso queira entrar.

O que me surpreendeu, é que, quanto mais próximo ao final da trilha, mais bonito ficavam os poços, sendo Loquinhas o último poço da trilha de mesmo nome. O melhor horário para quem quer fotografar nas Loquinhas, é meio dia, já que o sol fica bem no alto iluminando o poço por completo.

A outra trilha, também senti o mesmo em relação à beleza, sendo a última cachoeira a Esmeralda, devido ao tom esverdeado nas pedras pela formação de musgos.

Esmeralda

Durante a seca, pode ser que não seja possível o banho em alguns desses poços.

Onde Comer

O Centro de Cavalcante é bem pequeno, pedimos indicação e fomos à um restaurante próximo ao mercado, comida boa e barata.

Em Alto Paraíso na avenida principal, Av. Ary Ribeiro Valadão Filho, tem várias opções, restaurantes, barzinhos, churrascarias, opções veganas, frutaria, hamburgueria.

Durante as trilhas, o ideal é levar os lanches e snacks. Já no dia que fizer trilha no Parque, a pedida é um açaí, na Vila de São Jorge, e não falta opção.

Na hora de jantar, apareceu essa simpatia aí, que foi clicado pela Lu.

Quanto

Roteiro Kalunga (entrada para as 3 cachoeiras) + almoço + transfer: R$ 95,00 – ingressos pelo site, o valor pode ser divergente.

O valor do Guia pode variar bastante, dependendo de onde fechar, se ele vai com você ou vai com transporte próprio e outros fatores. Quando estive na Chapada, em 2019 o valor variava entre R$ 150,00 a R$ 200,00 a diária do guia, lembrando que esse valor era cobrado por grupo e dividido pelo número de pessoas.

*Todos os valores citados no Blog, tem como referência o ano de 2019, e podem sofrer alterações.

Queridinhos que não conheci

Outros atrativos, que infelizmente não consegui conhecer, pelo tempo disponível que tínhamos e/ou pelas chuvas são: Mirante da Janela, Vale da Lua, Almécegas, Cachoeira do Couto, Macaquinhos, entre outros.

Sabe qual a vantagem? Agora tenho uma desculpa para voltar e conhecer esses lugares!

Dicas:

Se possível, vá um dia antes, aproveite um pouco a cidade de Brasília e saia de manhãzinha em direção a Chapada.

Para as trilhas, leve lanches que duram fora da geladeira, como lanche de salame e parmesão, frutas, frutas secas, castanhas, barrinhas de cereal, isotônico e muita água.

Itens indispensáveis: óculos de sol, protetor solar, repelente, boné e roupa de banho, roupas leves para trilha e calçado adequado.

Conteúdos relacionados

3 comentários em “Chapada dos Veadeiros – O que fazer, quando ir e onde ficar!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Rolar para cima